Gerenciando projetos de desenvolvimento de sistemas no setor de TI

Leonardo Rezende Vilela

Analista de sistemas, pós-graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec.

Introdução:

Estudos realizados desde 1990 sobre gerenciamento de projetos de software deixaram evidente que as práticas de gerenciamento devem ser melhoradas para que os projetos de software tenham maior sucesso. Os principais padrões e normas existentes nesta área também têm colocado o gerenciamento de projetos como um dos requisitos básicos para que uma empresa de desenvolvimento de sistemas inicie a melhoria de seu processo. Apesar disso, o gerenciamento de projetos de software ainda não é tão levado a sério, mesmo pelos profissionais da área, como deveria.

Com o intuito de auxiliar essas empresas na melhoria de seu processo de software através do gerenciamento de projetos, existem modelos que visam auxiliar as empresas na organização inicial de seu negócio através do uso de artefatos de alto nível e de baixa complexidade, em conjunto com um padrão de ciclo de vida para os projetos e o estabelecimento de fluxos de trabalho. O modelo é na verdade um framework conceitual que pode ser utilizado para a automação do processo de gerenciamento. Ele foi concebido com base nos padrões e normas existentes, nas metodologias para desenvolvimento de software, nos procedimentos e normas para gerenciamento de projetos, e em estudos empíricos realizados nessas empresas.

Desenvolvimento:

Aplicando as técnicas em Projetos de TI - A correta aplicação desse modelo tem comprovado uma melhoria no processo de desenvolvimento de software das organizações em itens fundamentais, tais como: melhoria da qualidade dos projetos e produtos gerados, melhoria da comunicação interna e externa, melhoria do gerenciamento dos recursos humanos, melhoria das estimativas de tempo e de custo, melhoria do estabelecimento das metas organizacionais, melhoria na identificação dos riscos e melhoria da satisfação do cliente, entre outros.

Contudo, o gerenciamento de projetos na área de tecnologia da informação continua a ser uma das atividades mais complexas, principalmente quando falamos em desenvolvimento de sistemas, pois requer uma habilidade especial na integração das variáveis do composto de um projeto, dentre as quais, salientaria o planejamento, o acompanhamento, a implantação e o relacionamento entre as pessoas. É fundamental para um aprendizado nesta profissão, além do estudo das melhores práticas e técnicas de gerenciamento de projetos já utilizadas ao longo do tempo por todo o mundo, procurar aprender sempre com lições anteriores, através de informações históricas e da troca de experiência entre os profissionais do setor.

O gerenciamento de projetos, como as outras profissões, também tem evoluído. Além das técnicas, práticas e ferramentas de gerenciamento de projetos descritas formalmente pelo PMI no Pmbok, especialmente em desenvolvimento de softwares algumas dicas informais são importantes :
1.Planejar sempre;
2.Monitorar e acompanhar a execução;
3.Replanejar;
4.Delegar conforme a competência e atribuir as atividades aos responsáveis;
5.Registrar tudo eletrônicamente sempre no momento em que ocorrem;
6.Aprender com os erros, pois são oportunidades de melhoria (lessons learned);
7.Envolver e dar "feedback" a todos os stakeholders do projeto;
8.Comunicar de forma clara e objetiva;
9.Gerenciar de forma efetiva as mudanças, especialmente as de escopo;
10.Seguir uma metodologia de desenvolvimento de sistemas;

Além disso, é importante reforçar a necessidade de se ter uma metodologia de trabalho em que possa ser identificado o ciclo de vida para planejar e acompanhar o projeto. Para isto existem algumas ferramentas e softwares disponíveis no mercado para ajudar e acelerar este trabalho.

Em paralelo a isto, especialmente no setor de software, existem órgãos que regulamentam e propõem técnicas de mensuração do tamanho de um projeto de software. Estes órgãos (BFPUG - Brazilian Function Point Users Group e IFPUG - International Function Point Users Group) através do método de Function Point Analysis (FPA) se determina o tamanho e o escopo do projeto. Baseado nisto, as empresas sabedoras da produtividade de sua equipe, conseguem determinar em quanto tempo e com quantos profissionais atuando, o projeto, considerando aquele escopo determinado, pode ser finalizado com a qualidade contratada. Com a definição de quantos profissionais em quanto tempo, chega-se ao custo do projeto no que tange alocação de profissionais.

Com a Internet e conseqüentemente a nova forma de realização de negócios (B2C e B2B), a grande surpresa enfrentada pelos profissionais do setor, é dizer que quase não há diferenças entre gerenciar um projeto para plataforma Web e um sistema Client-Server. Atualmente os projetos Web estão saindo do escopo de apresentação institucional e estão herdando todos os requisitos de um projeto Client-Server, sendo basicamente diferenciado no aspecto visual, isto é, um projeto Web requer um projeto visual muito mais sofisticado em termos de design. Além disso, tecnologia e pessoas são as diferenças. Isto ocorre porque tudo está em crescimento e evolução e por enquanto será comum deparar com ferramentas de desenvolvimento adaptadas e/ou em amadurecimento. Além disso há a escassez de recursos humanos, que gera grande rotatividade, isto sem falar que na maioria são bastante jovens e por hora inexperientes. Mas a tendência é que esse cenário amadureça e então os profissionais estarão mais preparados e os softwares mais robustos e estáveis. Ao gerente de projetos atuante neste setor, caberá também a tarefa de ensinar e implantar os métodos de trabalho e de qualidade esperados.

Conclusão:

Concluindo, administrar interesses, cronogramas, dinheiro e principalmente pessoas são tarefas muito difíceis de se gerenciar. A função de gerenciamento de projetos envolve portanto, situações de troca de papéis, ou seja, uma hora podemos estar no papel de fornecedor, já outra hora no de cliente, porém o mais importante é exercer o papel conforme o momento sem deixar que a empatia de sua experiência vivida em cada papel, o faça relaxar quanto as cobranças e ao objetivo principal. Usar a empatia para ajudar a negociar a melhor solução e condução do projeto é importante, mas não o suficiente para se obter sucesso.

Especificamente em projetos de sistemas de informação, a aplicação correta do método de FPA para mensuração dos projetos, aliada a metodologias de desenvolvimento de sistemas e de gerenciamento de projetos abrangente e produtivas são os principais fatores, juntamente com a qualificação e motivação das pessoas envolvidas no projeto, para o sucesso do mesmo.

Referências Bibliográficas:

http://www.pmi.org/ - site do PMI.
http://www.pmi-issig.org/ - site do PMI-ISSIG.
http://web12.unisys.com.br/ - site do PMI-RIO.
www.fea.usp.br/Programas/pmi-sp/index.htm - site do PMI-SP.
http://www.pmimg.org.br/ - Site do PMI-MG.
http://www.bfpug.com.br/ - Brazilian Function Point Users Group.
http://www.ifpug.org/ - International Function Point Users Group.
PMBok – Guide to the Project Management Body of Knowledge.