Liderança climática 2020

Cínthia Nascimento Coelho

Revista Ietec :: Outubro - Dezembro 2009

Ao longo de bilhões de anos, a raça humana vivenciou mudanças drásticas que alteraram a genética de todas as espécies vivas do planeta. Somos resultado da seleção natural preconizada por Darwin. No entanto, estamos a um passo de presenciar o fim da vida no planeta Terra.

O presidente do State Of The World Forum, Jim Garrison, afirma sem rodeios que somos hoje responsáveis por lançar na atmosfera 70 milhões de toneladas de CO2 a cada 24 horas. Em 2008 jogamos na atmosfera mais gases poluentes do que nos anos anteriores. “A situação atual do mundo, no que diz respeito à mudança do clima, é pior que o pior cenário do IPCC, em seu relatório de 2007”, afirma.

O presidente do Earth Policy Institute, Lester Brown, um dos maiores especialistas do mundo em aquecimento global, propõe um plano B para salvarmos a nossa civilização. O plano B de Brown se transformou em livro: Plan B 3.0: Mobilizing to Save Civilization. Nele, o cientista apresenta quatro metas primordiais para a humanidade: a estabilização do clima e a da população, a erradicação da pobreza e a restauração dos ecossistemas da Terra.

Brown estipula o prazo: reduzir as emissões de gás carbônico em 80% até o ano de 2020. Isto seria o suficiente para manter o aumento da temperatura global no mínimo. Logo, três requisitos para esta iniciativa são fundamentais: desenvolver fontes renováveis de energia, aumentar a eficiência energética e expandir a cobertura florestal da Terra. “Estamos perante o fim da civilização humana em si, se não tomarmos medidas agora”, afirma Brown.

A Campanha Liderança Climática 2020, liderada por Garrison, mobilizou uma coligação de 200 cientistas, especialistas, governantes e empresários em torno da liderança global do clima em Belo Horizonte, no último mês de agosto. Vinte nacionalidades estiveram presentes no encontro.

“Pela primeira vez em nossa história somos todos convocados a termos responsabilidade com o nosso clima. Nada menos que o destino da civilização humana está em jogo. Precisamos assumir nossa liderança climática”, afirmou Brown que também participou do encontro.

Para Garrison, reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 2020 pode garantir também um novo ambiente para a economia mundial: “Aprenderemos a fazer lucros dentro do contexto sustentável, gerando riqueza e trabalhando dentro dos sistemas naturais e para o bem comum”.

Direcionar o foco para as políticas de produção limpa certamente irá gerar o boom econômico global que precisamos sem causar novos impactos. “Por uma questão de lucro, comunidades foram dizimadas, culturas destruídas, o meio ambiente devastado e o clima alterado. Desde a Segunda Guerra Mundial, a população humana consumiu mais recursos naturais do mundo do que o resto da história da humanidade, sem nenhuma consciência a respeito das conseqüências para o planeta.”, lembra Garrison.

Colocar em ação uma nova matriz energética para o mundo é o nosso grande desafio. Isto porque as tecnologias de baixo carbono são hoje mais caras do que as tecnologias de combustível fóssil graças às reduções de impostos oferecidos pelos governos à matriz poluente. Os combustíveis fósseis compreendem cerca de 80% da economia mundial.

“Somos viciados em petróleo”, afirma Garrison que sugere aos governos começarem a taxar o carbono e a estabelecer as mesmas reduções de impostos e subsídios para a energia renovável e tecnologias limpas.

Carta sobre mudanças climáticas

Logo após a realização da Campanha Liderança Climática, em Belo Horizonte, lideranças empresariais e governo debateram compromissos e propostas para as discussões da Conferência de Copenhague, que acontece em dezembro deste ano.

Na ocasião, lançaram a “Carta Aberta ao Brasil sobre Mudanças Climáticas”. Nela, empresários se comprometem com a busca da redução contínua de emissões específicas de gases de efeito estufa e cobram do governo a implantação de uma estratégia de adaptação do país às mudanças climáticas.

O documento na íntegra está disponível em: www.ietec.com.br/meioamb/carta