Falta de comprometimento do cliente pode afetar a gestão do projeto?

Mozart Alves Júnior

Analista de Projetos de implantação de sistemas da ATT/PS Informática. Pós-Graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec
 

Os riscos sempre existem em todo e qualquer tipo de projeto, por isso, é necessário evidenciá-los. Às vezes, não é possível elencar todos eles, alguns são mais evidentes e outros quase imperceptíveis. Dentre os pouco comuns está à falta de comprometimento do cliente. Quando essa falha ocorre com o principal interessado, o projeto pode ser muito prejudicado.

Pesquisas informam que 10% dos analistas apontaram a “Falta de comprometimento do cliente” como possível causa para o fracasso nos projetos de desenvolvimento de sistemas, falta de comprometimento que pode ser apenas um reflexo ou uma relação de causa e efeito dos resultados anteriores. Por sua vez, os usuários apontam uma possível “Falta de honestidade” dos analistas, em 17% das respostas, como um fator relacionado ao fracasso nos projetos.

Palavras-chave: comprometimento do cliente, projetos de implantação, riscos, gestão de projetos


Abstract

Risks always exist in any type of project, hence, it is necessary to clear them. Sometimes, you can not elencar all of them, some are more obvious and others almost imperceptible. Among the unusual is the lack of commitment of the client. When this failure occurs with the main interested, the project can be very prejudiced.

Polls report that 10% of analysts pointed to "lack of commitment to customer" as a possible cause for the failure of projects in development of systems, lack of commitment that can only be a reflection or a relationship of cause and effect of previous results. In turn, users can show a "lack of honesty" of analysts, 17% of responses, as a factor related to failure on the projects.

Keywords: commitment of the client, project deployment, risks, management of projects
Introdução

Uma das decisões em que os gerentes de projeto devem ter muita atenção é no momento de identificar e assumir ou não os riscos de um projeto em relação os principais interessados.
Muitos clientes, após contratar um sistema ou serviço, acreditam que a responsabilidade do projeto é apenas do fornecedor. Sem o apoio do sponsor e das pessoas interessadas, o projeto pode ser prejudicado.


Revisão de Literatura

A literatura utilizada neste artigo foram pesquisas na Internet, através da ferramenta de pesquisa Google™, e foi feita uma seleção dos websites com maior ocorrência da literatura-alvo, que no caso é a o comprometimento do cliente nos projetos.

A principal fonte deste artigo se encontra  no website:
http://www.profissionaisdetecnologia.com.br/modules.php?name=News&file=print&sid=72, fórum de tecnologia de informação que apresenta uma matéria referente ao assunto-alvo.

Outra fonte importante para desenvolvimento deste artigo é o website:
http://www.paulovaz.net/paulovaz/index.php?option=com_content&task=view&id=111&Itemid=100, blog do profissional Paulo Vaz que possui um artigo sobre esse assunto.

Materiais e Métodos

Risco em projeto, por definição, corresponde a um evento ou uma condição incerta que, se efetivamente ocorrer, pode implicar em efeito positivo ou negativo nos resultados de um projeto. Assim, riscos em projetos incluem tanto oportunidades quanto obstáculos para se atingir resultados em projetos. Um risco nem sempre considerado, é a participação efetiva do cliente e seu comprometimento para que o projeto atenda suas necessidades. É este ponto que abrange este artigo.

Antes de tomar qualquer decisão no projeto, é necessário que sejam identificados todos os riscos que envolvem o mesmo. Estes riscos são mais facilmente identificados, se forem analisados e evidenciados no plano de riscos do projeto. Após a identificação, deve-se qualificar os riscos, assim como quantificar a probabilidade deles ocorrerem, e qual é o impacto se cada evento de risco ocorrer, identificando-os pelos fatores: escopo, prazo, custo e qualidade. Ao longo de todo ciclo de vida do projeto, deve-se fazer o monitoramento e controle dos riscos.

Como gerentes de projeto, sabemos da importância que o projeto tem para o cliente, entretanto, muitos clientes não se empenham em cumprir a parte deles no projeto por achar que o compromisso é apenas do fornecedor. Para uma maior compreensão, vamos exemplificar:

Normalmente, em projetos de implantação, temos uma pessoa responsável pelo projeto no fornecedor e outra, no cliente. Às vezes, um projeto é contatado e o cliente nem sempre dá o foco necessário para que o projeto seja cumprido a fim de atender todas as necessidades, já que a responsabilidade da implementação está no fornecedor.

Um dos motivos que podemos citar são os orçamentos anuais que as empresas possuem. Algumas empresas aproveitam o final do ano, com recursos acumulados para implantação de softwares e sistemas e decidem adquirir os produtos. Ao iniciar a implantação desses sistemas, não dão a devida importância por não ser uma prioridade, e as vezes o projeto não é cumprido adequadamente.

Outro motivo existente é que em alguns projetos podemos verificar a existência de um gerente do projeto no cliente e outro no fornecedor. Em alguns casos,o responsável no cliente não está focado no projeto ou está focado em vários deles, resultando em atrasos e problemas. Estes problemas quase sempre, são de responsabilidade do fornecedor, pois ele foi contratado para implantar o sistema.

Resultados e Discussão

Os resultados obtidos neste artigo, e no estudo de caso citado, provam que é extremamente importante enfatizar o compromisso do cliente no plano do projeto. Principalmente no plano de comunicação, matriz de responsabilidade e especialmente, no plano de resposta aos riscos do projeto, pois será através destes procedimentos que poderemos definir o sucesso ou fracasso do desenvolvimento do projeto.

Estar preparado para tratar os riscos evita mudanças no escopo e nas relações de recursos humanos do projeto, otimiza o planejamento, e garante grandes chances de controle do projeto como um todo.


Conclusão

Devemos lembrar sempre que riscos sempre estarão presentes em qualquer projeto. A diferença está em como lidar quando o mesmo surgir. Deve-se manter a serenidade, monitorar durante todo ciclo de vida do projeto, visando antever problemas, além de prever rotas alternativas para as contingências, em caso de imprevistos.

Outro ponto importante é que quanto mais cedo for identificado e definido como controlar os riscos, haverá maiores chances de eficácia na gestão dos riscos. Desta forma, conseguiremos transformar os riscos em oportunidade.

 
Bibliografia

MCAFEE PROVEN SECURITY , Gestão de Riscos: Coloque suas prioridades em ordem. Disponível em: http://sisnema.com.br/Materias/idmat016523.htm

VAZ, PAULO. Projeto com problemas?
Disponível em : http://www.paulovaz.net/paulovaz/index.php?option=com_content
&task=view&id=111&Itemid=100

PORTELLA, RICARDO. Psicologia & Informática - A dificuldade nas relações técnico-profissionais. Disponível em:
http://www.pmkb.com.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=52
Março 2007

Leonardo Moraes, Segurança e Gestão de Riscos em Tecnologia da Informação. Disponível em: http://imasters.uol.com.br/artigo/5295/gerencia/seguranca_e_gestao_de_riscos_em_tecnologia_da_informacao/
Janeiro 2007