Benefícios em Implantar Sistema de Gestão de Qualidade em Empresas da Construção Civil

Flávio Renato Cassimiro

Pós-graduado em Engenharia de Processos pelo IETEC, Consultor, Especialista em Implantação de Normas ISO 9001, ISO TS 16949 e SiAC / PBQP-H

RESUMO

O fortalecimento da classe média, o aumento da renda e do crédito e diminuição do desemprego foram alguns dos fatores que mudaram o cenário atual do mercado construtivo que está em franca expansão.
Nos últimos dois anos, as empresas construtoras e incorporadoras colocaram à venda aproximadamente um milhão de unidades, porém, está muito longe de atender a demanda acumulada da população brasileira que pode chegar, segundo cálculos da Caixa Econômica Federal, em nove milhões de unidades.
Apesar de o cenário ser positivo, muitas empresas construtoras estão vivenciando um estranho paradoxo devido a atraso de obras, falta de mão-de-obra qualificada, custos estourados e redução do número de lançamentos de novos negócios.
Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise de como a implantação de um sistema de gestão da qualidade pode contribuir positivamente nos resultados operacionais e financeiros das empresas construtoras.

Palavras-chave: empresas construtoras e incorporadoras, sistema de gestão da qualidade, mercado construtivo, mão-de-obra qualificada, qualidade, resultados.

1. Introdução
A implantação de um sistema de gestão de qualidade proporciona além da possibilidade de ampliar mercados, uma série de vantagens para as empresas: aumenta o nível de organização interna, o controle da administração e a produtividade.
Além desses benefícios, também leva a redução de custos e do número de erros e melhora a credibilidade junto a seus clientes.
Para o mercado da construção civil, as normas NBR ISO 9001:08 e Referencial SiAC / PBQP-H são alvo dos empreendedores que tem uma visão mercadológica de médio e longo prazo.
O PBQP-H, Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat, é um instrumento do Governo Federal para cumprimento dos compromissos firmados pelo Brasil quando da assinatura da Carta de Istambul (Conferência do Habitat II/1996). A sua meta é organizar o setor da construção civil em torno de duas questões principais: a melhoria da qualidade do habitat e a modernização produtiva. A busca por esses objetivos envolve um conjunto de ações, entre as quais se destacam: avaliação da conformidade de empresas de serviços e obras, melhoria da qualidade de materiais, formação e requalificação de mão-de-obra, normalização técnica, capacitação de laboratórios, avaliação de tecnologias inovadoras, informação ao consumidor e promoção da comunicação entre os setores envolvidos. Dessa forma, espera-se o aumento da competitividade no setor, a melhoria da qualidade de produtos e serviços, a redução de custos e a otimização do uso dos recursos públicos. O objetivo, em longo prazo, é criar um ambiente de isonomia competitiva, que propicie soluções mais baratas e de melhor qualidade para a redução do déficit habitacional no país, atendendo, em especial, a produção habitacional de interesse social.
A norma NBR ISO 9001 é aplicável a qualquer produto, a qualquer tipo de serviço e a qualquer tamanho da organização. É também compatível com outros sistemas de gestão e focada em melhoria contínua. Além disso, é voltada para os resultados dos negócios. O SGQ (Sistema de Gestão da Qualidade) faz parte de vários sistemas que existem nas organizações, entre eles: o Sistema de Informação, o Sistema Financeiro, o Sistema de Vendas. Ao se implantar o SGQ busca-se algo que seja compatível com a organização, que agregue valor e que seja interligado com outros processos organizacionais. As organizações precisam ser lucrativas, pois uma organização não lucrativa pode falir. E se fechar vai prejudicar não somente os funcionários da empresa, mas também as famílias desses funcionários. Sem falar que prejudica também os clientes e a comunidade que precisam da organização.

2. Desenvolvimento
2.1 Planejamento
Para se iniciar um processo de implantação de sistema de gestão de qualidade, as empresas devem se planejar, seguindo uma estrutura conforme abaixo:
 Definir qual requisito normativo será implantado na empresa;
 Diagnosticar a situação atual do sistema de gestão da qualidade da empresa;
 Definição das necessidades (treinamentos, estrutura, recursos, etc);
 Elaboração da matriz de implantação do SGQ;
 Realização de treinamentos, desenvolvimento de documentos e implantação in loco;
 Verificação da implantação (auditorias internas e externas);
 Planejamento da manutenção do sistema de gestão da qualidade.
A implantação do sistema de gestão de qualidade pode ser conduzida por equipe interna ou externa (consultores).
O tempo médio para certificação do sistema de qualidade baseado nas normas NBR ISSO 9001:08 e SiAC / PBQP-H é de aproximadamente 11 meses, depende de alguns fatores tais como escopo de certificação, número de funcionários, número de obras ativas; localização geográfica das obras, etc.

2.2 Melhoria na Gestão da Documentação
Com um sistema de Gestão da Qualidade implantado, percebe-se dentro da gestão da documentação:
a) Melhor controle para aprovação de documentos quanto sua adequação, antes de sua emissão;
b) Melhor gestão de análise critica e atualização da documentação;
c) Garantia de que alterações e situação da revisão atual dos documentos sejam identificadas;
d) Garantia de que as versões pertinentes de documentos aplicáveis estejam disponíveis em seu local de uso;
e) Garantia de que os documentos permaneçam legíveis e prontamente identificáveis;
f) Garantia de que documentos de origem externa necessários para o planejamento e operação do sistema de gestão da qualidade sejam identificados e sua distribuição controlada;
g) Garantia que evitam o uso não pretendido de documentos obsoletos;
h) Melhor gestão de controle para identificação, armazenamento, proteção recuperação retenção e disposição de registros.

2.3 Melhoria no Gerenciamento dos Processos
Para que as organizações funcionem de forma eficaz, elas têm que identificar e gerenciar processos inter-relacionados e interativos.
A identificação sistemática e a abordagem dos processos empregados na organização e, particularmente, as interações entre tais processos são conhecidas como “Gestão por processos”.
O Mapeamento de Processo dentro de um sistema de gestão da qualidade implantado é uma ferramenta gerencial e de comunicação que tem a finalidade de ajudar a melhorar os processos existentes ou de implantar uma nova estrutura voltada para processos.
O mapeamento também auxilia a empresa a enxergar claramente os pontos fortes, pontos fracos (pontos que precisam ser melhorados tais como: complexidade na operação, reduzir custos, gargalos, falhas de integração, atividades redundantes, tarefas de baixo valor agregado, retrabalhos, excesso de documentação e aprovações), além de ser uma excelente forma de melhorar o entendimento sobre os processos e aumentar a performance do negócio.
Alguns benefícios:
 Melhor entendimento do negócio como ele é e como ele deve ser;
 É possível analisar e melhorar os processos de negócio;
 Requisitos mais claros, tornando o desenvolvimento de sistemas mais fácil de gerenciar;
 Redução do tempo de execução;
 Melhoria da qualidade;
 Padronização.

2.4 Melhoria nas Práticas de Comunicação Interna
Com um sistema de Gestão da Qualidade implantado, percebe-se uma melhora significativa dos processos de comunicação interna tais como, gestão por e-mails, malas diretas, gestão à vista, onde todos os colaboradores são qualificados a executarem as práticas estabelecidas de forma homogenia.

2.5 Melhoria na Padronização e Produtividade
Segundo W.E. Deming (1982), “a produtividade é aumentada pela melhoria da qualidade. Esse fato é bem conhecido por uma seleta minoria”. As organizações são constituídas de três elementos básicos:
a) Equipamentos e materiais (hardware)
b) Procedimentos (software)
c) Ser Humano (humanware)
Baseado nessas informações, como as empresas devem se preparar para ter máxima produtividade? Melhorando os três itens acima descritos.
O sistema de gestão da qualidade implantado propicia uma melhor gestão de suprimentos para que possamos fazer aporte de capital. Também facilita o processo de melhoria do
desenvolvimento humano através de um processo de recrutamento padronizado, da contínua qualificação de seus funcionários, do treinamento on the job, etc.
Só é possível melhorar a documentação através das pessoas, por isso, ser humano é a engrenagem essencial para melhoria da produtividade.

3. Conclusões
Ao analisar o exposto no desenvolvimento desse artigo, os benefícios em implantar sistemas de gestão da qualidade em empresas da construção civil oferecem melhorias para várias partes interessadas:
Para as empresas, a oportunidade de aumentar sua competitividade, por meio da redução de desperdícios, melhor formação dos profissionais, melhor gestão e acesso aos projetos, materiais, componentes e adequação das normas técnicas.
Para os contratantes do setor público, a oportunidade de utilizar seu poder de compra como forma de selecionar os fornecedores com maior qualidade, otimizando o uso dos recursos públicos, solicitando no processo licitatório os Atestados de Qualificação. Para o consumidor, a oportunidade para utilizar seu poder de compra, dando preferência às empresas que produzem com qualidade.

Bibliografia
CAMPOS, V.F. – Controle da Qualidade Total 2ª Edição Rio de Janeiro: Block Editores S.A., 1992.
DEMING, W.E – Quality, Productivity, and Competitive Position. Massachusetts Institute of Tecnology, 1982
Decisão Consultoria Belo Horizonte 2009 – Disponível em: www.consultoriadecisao.com.br Acessado em 05/04/2013.
Ministério das Cidades Brasília 2013 – Disponível em: www.cidades.gov.br Acessado em: 05/04/2013
Ministério das Cidades - Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de serviços e Obras da Construção Civil Portaria 582 de 05 de Dezembro de 2012.
ABNT /NBR ISO 9001:2008 – Sistema de Gestão a Qualidade, 2008.