Minas Gerais concentra 5 mil empresas de TI

Reportagem local

O mercado de tecnologia da informação (TI) em Minas Gerais está em alta. De acordo com números do programa MG TI 2022 - versão mineira do Programa TI Maior, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação -, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o setor movimentou R$ 2 bilhões em 2012, com 20 mil postos de trabalho ocupados. Ainda de acordo com o órgão, a expectativa é de que esse número chegue a R$ 9 bilhões em 2022, viabilizando a geração de 72 mil empregos.

Em âmbito nacional, a situação não é diferente. Segundo estudo realizado pela International Data Corporation (IDC), até o fim de 2013 está prevista a criação de 2,7 mil empresas do segmento no Brasil, resultando na abertura de 1 milhão de ocupações profissionais. O segmento apresenta panorama tão promissor no Brasil que, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2022 a expectativa é de que a área de TI seja responsável por 5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.
Minas Gerais é considerado um dos mercados fortes nesse segmento. Ao todo, estão instaladas no Estado aproximadamente 5 mil empresas, sendo 3,5 mil na RMBH e, para os próximos anos, espera-se que o Estado seja um pólo tecnológico. Um dos representantes desse segmento em solo mineiro é a Educação, Inovação e Tecnologia (EI&T), cuja especialidade é a geração conhecimento estratégico na área de educação. A EI&T está incubada na Fumsoft - Sociedade Mineira de Software, incubadora que atua como representante do setor de TI, disponibilizando vários programas com enfoque no desenvolvimento das empresas do estado.
A aposta dessa empresa está no desenvolvimento de aplicativos educacionais para celular e redes sociais, ferramentas que servem como suporte aos estudantes na obtenção de mais conhecimento e na solução de dúvidas. Um exemplo é o AppProva, aplicativo para Facebook e smartphones que consiste em um jogo interativo, por meio do qual os participantes testam seus conhecimentos em uma seqüência de perguntas e respostas. O banco de questões, com quase 10 mil atividades, é composto por conteúdo das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e dos principais vestibulares do país.
O aplicativo já conquistou mais de 90 mil usuários e teve cerca de 900 mil perguntas respondidas. Alunos de escolas como Loyola, Magnum, Santo Agostinho e Santo Antônio já são incentivados pelas instituições a utilizarem a ferramenta, que pode ser acessada gratuitamente no link: www.facebook.com/AppProva.
As questões são exibidas aleatoriamente e o jogador deve respondê-las no menor tempo possível, mas com a eficácia exigida. Para jogar, basta a pessoa dar permissão ao aplicativo em sua página no Facebook ou fazer o download do aplicativo gratuitamente pelo celular.
Na medida em que o jogador responde as perguntas corretamente, ele acumula pontos. Além disso, o usuário é contemplado com alguns bônus, que variam de acordo com a dificuldade da pergunta, o tempo gasto para respondê-la, entre outros critérios. Se conquistar feitos importantes no jogo, o participante pode até ganhar medalhas.
De acordo com o diretor da EI&T, João Guilherme Gallo, a ferramenta possibilita aos usuários aliar diversão e construção de conhecimento. "As redes sociais e os smartphones são meios de interatividade que podem não só estreitar relações entre indivíduos, como também fomentar o acesso ao conhecimento. Acredito que o AppProva cumpre esse papel."
Gallo comenta ainda sobre o crescimento do setor de TI em Minas Gerais. "um segmento que está demonstrando a sua importância para propiciar o desenvolvimento nos mais diversos segmentos profissionais, contribuindo inclusive para o crescimento da economia no Brasil."

Incentivo
E esse segmento profissional vem recebendo cada vez mais apoio do poder público. No final do mês passado, o Governo Federal, por meio do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, abriu inscrições para o programa Start-Up Brasil. A ação é uma medida para impulsionar o setor de Tecnologia da Informação (TI).
Minas Gerais vai abrigar uma das aceleradoras do programa em nível nacional. O Projeto Acelera-MG, que é liderado pela Assespro-MG, Fumsoft, Sindinfor e Sucesu-MG com o objetivo de disponibilizar consultoria tecnológica para impulsionar o segmento, foi o escolhido entre oito propostas de outros estados
Ao todo, serão escolhidas 150 empresas para receber, cada uma, a quantia de R$ 200 mil para desenvolver um negócio em um prazo de um ano. Todo o recurso é oriundo do governo. As empresas selecionadas serão as que obtiverem maior pontuação, conforme critérios estabelecidos em edital. Entre os quesitos analisados estão nível de inovação, faturamento anual da empresa e currículo do candidato.
 
 

Capacite-se em uma das áreas que mais demanda profissionais atualmente. Conheça a pós-graduação em Gestão e Tecnologia da Informação do IETEC, clicando aqui.