Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão de Projetos

Gerenciamento de Projetos de Automação Industrial, suas Fases e Principais Documentos

Anderson Alves Diniz

Engenheiro Eletricista e Gerente de Projetos da VISION Sistemas Industriais. Pós-Graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec.

Este trabalho propõe um estudo dos principais itens de avaliação e controle e os principais documentos gerenciais relacionados aos projetos de automação industrial,considerando as fases do projeto e tendo como referência as boas práticas e os grupos de processos do guia PMBOK®.

Palavras chave: GERENCIAMENTO, projeto, automação, documentos.

1) Introdução

A implantação de projetos de automação industrial geralmente apresenta um nível significativo de complexidade, considerando os altos investimentos, a tecnologia empregada, compra de equipamentos muitas vezes de fornecedores do exterior, dentre outros [DALLALANA et al., 2008]. No que tange o gerenciamento desses projetos, esta complexidade pode vir associada a problemas que afetam boa parte das empresas de diferentes setores: a falta de metodologia, a falta de padronização e a pouca qualificação dos profissionais.

O gerenciamento de projetos de automação industrial, em princípio, é semelhante ao gerenciamento de qualquer outro projeto [NEVES, 2008]. Assim sendo, as boas práticas sugeridas pelo PMBOK® [PMI, 2004], além das técnicas e ferramentas utilizadas para outros projetos são perfeitamente aplicáveis. Porém, quando o projeto se refere a indústrias ou a processos de risco1, os processos de planejamento e monitoramento e controle (principalmente do escopo e da qualidade), devem ser tratados com maior cuidado que o usual. O foco de discussão deste trabalho será as fases dos projetos de automação industrial e os principais itens de avaliação e documentos gerenciais associados.

2) Principais documentos gerenciais por fase do projeto
 

A tabela a seguir relaciona as fases do projeto de automação, os principais documentos gerenciais e os grupos de processos do PMBOK®.

A seguir serão detalhados os principais itens a serem verificados e os documentos gerenciais de cada uma das fases.

Definição do Escopo
Nesta fase são definidos o escopo do projeto, objetivos, responsáveis, previsão de orçamento, dentre outros. O resultado das definições deve estar presente no Termo de Abertura do Projeto.

Especificação Funcional
O foco do gerenciamento do projeto nesta fase é validar todos os requisitos do projeto, prazos, escopo, tecnologia, qualidade esperada, premissas, dentre outros. O principal documento gerencial desta fase é o Plano do Projeto. Nele, estarão contidos os planos de escopo, prazo, custo, qualidade, RH, comunicação, risco e aquisições.

Se o projeto envolve um processo industrial de risco, o plano de escopo e o plano de qualidade devem ser elaborados com bastante critério. Geralmente existem normas de engenharia e/ou governamentais que limitam ou estabelecem critérios mínimos para os sistemas de automação. Um exemplo é o controle duplo por senhas para alteração de parâmetros de mistura na fabricação de medicamentos [21 CFR Part 11].
 

Desenvolvimento
Execução do projeto. Nesta fase, a equipe técnica está totalmente envolvida nas atividades do projeto. Os Relatórios de Andamento e os Relatórios de Status do Projeto são fundamentais, pois além de indicarem onde o projeto se encontra,
mostram para onde está caminhando.

Mudanças de escopo certamente ocorrerão. O controle de mudanças de escopo e o plano de comunicação devem ser suficientemente adequados e serem seguidos com rigor, para garantir a informação e o entendimento das partes interessadas com relação aos impactos das mudanças. A cada mudança o plano da qualidade deverá ser revisto, principalmente se for alterada uma tecnologia ou algum item de segurança operacional da planta.
 

Testes
Compreendem os testes de plataforma, testes de aceitação em fábrica (TAF) e os testes de aceitação no cliente (TAC).
Atenção especial deve ser dada a esta fase. O controle do escopo e da qualidade deve ser rigoroso. O Relatório de Testes deve evidenciar que os requisitos do sistema foram verificados e testados. O sistema somente poderá ser liberado para implantação após resolução de pendências. Todas as partes interessadas devem ser comunicadas e se dedicarem para sanar quaisquer pendências.
 

Uma vez liberado para a implantação, considera-se o sistema até este ponto como validado e atendendo aos requisitos do projeto, ou seja, estabelece-se a linha de base do sistema.
 

Implantação
Relatório de Qualificação da Instalação, que deve demonstrar e formalizar que a instalação (hardware e software) e seus respectivos testes estão de acordo com o especificado, não representando riscos para a operação do sistema.
Relatório de Desempenho e Validação do Sistema, que deverá demonstrar que o sistema instalado está conforme o planejado e atende a todos os requisitos do projeto. Relatório de Qualificação Operacional, evidenciando todas as informações necessárias para a operação do sistema foram passadas para a equipe de operação do cliente.
 

Entrega e aceite final

O Termo de Encerramento é o principal documento desta fase. Ele deve incluir os itens contratuais e os relativos à validação das entregas.O Plano de Manutenção da Validação do Sistema é outro documento importante. Seu objetivo é instruir a equipe interna do cliente para a verificação contínua do estado de validação do sistema, com foco no escopo e na qualidade. O enfoque deve ser proativo, prevenindo falhas e delimitando o horizonte de validação (para o caso de expansões, upgrades, dentre outros).

3) Os maiores problemas

De fato, percebe-se que os maiores problemas de gerenciamento dos projetos de automação, principalmente os de processos de risco, residem nas fases de Especificação Funcional, Testes de Aceitação e Entrega e Aceite Final. Alguns dos motivos das dificuldades enfrentadas em cada fase são:
· Especificação Funcional: principal dificuldade é o não domínio de todo o escopo e/ ou tecnologia a ser empregado, os quais serão totalmente conhecidos durante a fase de desenvolvimento. Tal fato dificulta e de certa forma limita a abrangência do plano de escopo, da especificação técnica do sistema e principalmente do plano de qualidade;
· Testes de aceitação: devem seguir rigorosamente o plano de qualidade, o qual contém todas as listas de verificação da qualidade. É importante salientar que este plano deve ser revisto antes dos testes de aceitação, pois não raro acontece substituição de tecnologia ou mudanças de escopo que interferem na verificação da qualidade do produto;
· Entrega e Aceite Final: desalocação da equipe, possíveis desgastes com os stakeholders ou o custo estourado (ou fora da margem prevista) podem dificultar o trabalho desta fase e influenciar na qualidade dos documentos finais do projeto.

4) Conclusão

O sucesso de um projeto de automação industrial depende de vários fatores, dentre eles os técnicos e os gerenciais. Em nível de gerenciamento, certamente estes projetos se comportam como qualquer outro. A diferença mostrada foi principalmente o maior esforço para controle do escopo e da qualidade, devido ao risco inerente dos processos industriais, alteração de tecnologia, dentre outros. Neste contexto, a identificação dos documentos fundamentais destas fases e sua relação com os objetivos do projeto são de extrema relevância.

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo