Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Compras

A importância do desenvolvimento dos fornecedores para a atividade de compras

Fernando de Oliveira Fidelis

Engenheiro Químico com especialização em Engenharia da Qualidade e MBA em
Gestão de Negócios. Supervisor de Desenvolvimento de Fornecedores e Black Belt da
CNH Latin America.

 

 

 

RESUMO


As empresas já perceberam que adquirem de seus fornecedores, muitas vezes, mais do que 50% do valor de seu faturamento. Com isso, adquirem também mais da metade dos seus problemas de qualidade e de lead-time.
As empresas que buscam a excelência operacional sentiram a necessidade de desenvolver programas de desenvolvimento de seus fornecedores, com a finalidade de reduzir as não-conformidades, garantir os programas de entrega, tornar-se mais competitivas, fomentar parcerias de longo prazo, reduzir custos e aumentar a flexibilidade.

Um bom processo de desenvolvimento de fornecedores vai possibilitar às empresas identificar e atrair os melhores fornecedores, visando o estabelecimento de parcerias de longo prazo. O relacionamento fortalecido pelo processo de desenvolvimento dos fornecedores busca um ganho mútuo em qualidade, tempo de ciclo de pedido, redução de custos,
eliminação de desperdícios e melhora do serviço, produzindo resultados para ambas as organizações – relacionamentos ganha-ganha.

ARTIGO

Uma das decisões de compras mais importantes é a correta seleção de fornecedores de suprimentos, pois se a decisão tomada não for a correta, as necessidades de compras da empresa não serão perfeitamente atendidas. Segundo Juran (1999), as empresas perceberam que a qualidade do desempenho dos seus fornecedores vem se tornando cada vez mais importante por vários motivos:
• Quantidade de produtos comprados: para muitos fabricantes de equipamentos originais, pelo menos metade dos materiais incluídos em seus produtos é comprada de fornecedores.
• Altos custos associados à qualidade insatisfatória de itens de fornecedores: para algumas empresas, cerca de 75% de todas as reclamações de garantia devem-se a itens comprados.
• Interdependência entre comprador e fornecedor: algumas empresas são bastante dependentes dos fornecedores em vários aspectos, como instalações de manufatura integradas, dependência tecnológica, entregas just-in-time, etc.
As empresas perceberam que a melhor maneira para chegar à escolha de fornecimento correta é o desenvolvimento de uma boa base de fornecedores, visando reduzir as não conformidades, aumentar sua competitividade, buscar a melhoria contínua do desempenho e fomentar relacionamentos de longo prazo.

A mudança de um relacionamento entre empresas compradoras e fornecedores, passando de um relacionamento conflitivo – com visão de curto prazo – para um relacionamento cooperativo é inevitável, em virtude da necessidade de se garantir a
melhoria do desempenho dos fornecedores.

O relacionamento cooperativo é um relacionamento contínuo, planejado, baseado na confiança mútua, no planejamento conjunto e nas relações ganha-ganha. Esta prática, onde o fornecedor é selecionado tendo em vista um relacionamento de longo prazo é denominado de parceria.

A Confederation of Brtish Industry e o Department of Trade and Industry (apud Baily et al., 2000, p. 205), definiram parceira da seguinte maneira: Parceria de suprimentos é o compromisso entre clientes/fornecedores, independente da dimensão, com um relacionamento a longo prazo baseado em objetivos claros e mutuamente definidos, visando ao esforço em termos de capacidade e competitividade mundial.

Estes relacionamentos de parceria exigem algumas premissas básicas, como o desenvolvimento de contratos de compra de longo prazo - que incentivam os fornecedores a investir em melhorias - e redução do número de fornecedores - aumentando a participação de mercado dos remanescentes. Para os fornecedores, uma das principais vantagens recebidas é uma posição de destaque em novos programas de desenvolvimento em futuras decisões de compra.

Além disso, possibilita também a elaboração de planejamentos a longo prazo. A escolha e desenvolvimento da base de fornecedores deve ser um processo contínuo nas empresas. Este processo não deve ser usado somente para aumentar negócios com os melhores fornecedores e eliminar os piores, mas também para melhorar o desempenho dos fornecedores mais fracos.

Um programa de desenvolvimento de fornecedores deveria permitir identificar e atrair os melhores fornecedores, visando criar novos graus de relacionamento como parcerias de longo prazo. Cada empresa deve definir o que é um “melhor fornecedor”. Baily et al. (2000), apresentam o que deveria ser uma lista de atributos de um bom fornecedor:
• Cumpre prazos de entrega
• Fornece itens com qualidade
• Oferece preço competitivo
• Tem um bom histórico de referências
• Fornece um bom serviço
• Cumpre o prometido
• Apóia tecnicamente

Primeiramente é importante determinar qual o desempenho esperado dos fornecedores e que deverá estar alinhado com as metas e objetivos globais da empresa. Uma empresa que busca alcançar um nível de excelência precisa que seus fornecedores mais importantes estejam alinhados com a sua própria estratégia organizacional. A falta de sincronização de estratégias pode causar impactos adversos no custo, qualidade e entrega.

Outro ponto importante é a definição da abordagem de avaliação e monitoramento. Entre os aspectos de desempenho do fornecedor podemos citar:
- Estabilidade financeira: a saúde financeira é mais importante para fornecedores-chave e parceiros de longo prazo. Um fornecedor com problemas de fluxo de caixa poderá ter dificuldades de obter materiais, cumprir as entregas nas datas previstas e manter a qualidade de seus produtos. O maior desafio consiste em ser capaz de identificar tendências negativas antes que um grande problema aconteça.
- Indicadores de desempenho operacional: indicadores-chave de desempenho (KPI’s) podem cobrir muitos aspectos, como qualidade, pontualidade de entrega, lead times, flexibilidade, tempo de resposta, custo de garantia. Estes indicadores podem ser obtidos do fornecedor ou do próprio sistema interno da empresa.

Quase toda empresa hoje em dia sabe que deveria estar avaliando o desempenho dos seus fornecedores. Contudo, para agir efetivamente na melhoraria do desempenho dos seus fornecedores e ao mesmo tempo produzir resultados e retorno do investimento, um processo de desenvolvimento e avaliação de fornecedores deveria ser desdobrado nas seguintes etapas:
• Alinhar as metas de desempenho do fornecedor com as metas e objetivos organizacionais da empresa.
• Definir quais aspectos de desempenho serão avaliados e monitorados.
• Determinar o método de coleta de informações
• Fornecer feed-back aos fornecedores quanto ao seu desempenho.
• Produzir resultados a partir da melhoria do desempenho do fornecedor.

- Processos e práticas de gestão: fornecedores bem administrados fornecem produtos com o melhor valor, dentro do prazo e exatamente como foi pedido pelo cliente, além de reduzirem custos e desenvolverem produtos melhores. As informações sobre as práticas gerenciais do fornecedor são críticas para a manutenção de relações benéficas de longo prazo, contudo são as informações que necessitam de mais recursos para serem obtidas, tanto para o cliente quanto para o fornecedor.

Um aspecto importante da avaliação de fornecedores é antecipar e diminuir os riscos. Além dos riscos na saúde financeira, no desempenho operacional e nas práticas de gestão, existe o risco associado à liderança do fornecedor. Uma liderança forte e
comprometida possui uma chance maior de sucesso e superação das dificuldades do negócio.

O próximo ponto é desenvolver um método para a coleta de dados. Existem várias formas de coleta de dados, cada um com suas particularidades e limitações. Os métodos mais comuns incluem questionários em papel, questionários via internet, relatórios de sistemas atuais, visitas ao fornecedor e certificações de terceira parte. A maior preocupação é com a abrangência e exatidão dos dados, pois se o processo não for bem planejado e executado, os dados gerados podem ser vagos e de validade questionável.

As empresas precisam ter uma comunicação verdadeira com seus fornecedores a respeito do desempenho deles. Se os resultados das medições de desempenho e as expectativas de ações não forem comunicados aos fornecedores, estas ações não acontecerão. É muito comum as empresas enviarem os resultados de desempenho sem nenhum comentário sobre as próximas etapas para melhoria contínua, destruindo parte do propósito do processo.

Concluindo, o processo de avaliação do fornecedor significa entender, comunicar e melhorar o desempenho do fornecedor. Se todos os componentes importantes de um bom sistema de avaliação de fornecedores forem executados corretamente, a medição do desempenho de um fornecedor deve levar ao desenvolvimento do mesmo.

A melhoria deste desempenho possui um grande potencial para causar impactos positivos nas empresas clientes, tanto financeira quanto competitivamente. Para isso, as empresas precisam trabalhar com seus fornecedores no desenvolvimento de planos de ação, como resultado destas avaliações, fechando o ciclo do processo de desenvolvimento de fornecedores.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BAILY, P. et al. Compras: princípios e administração. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2000.
JURAN, J. M. Controle da Qualidade. 5. ed. São Paulo: Makron Books, 1999.
GORDON, S. Sete etapas para medir o desempenho do fornecedor. Revista Banas
Qualidade. São Paulo, n.161/14, out. 2005.

 

Saiba mais sobre os módulos de MBA em Gestão de Negócios, clicando aqui.

 

Saiba mais sobre o curso de pós-graduação em Administração de Compras, clicando aqui.

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo