Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Mineração

Controle ambiental na mineração

Comunicação Ietec

 

Apesar de ainda ser visto com reserva pela sociedade, o setor de mineração tem avançado de forma considerável nos últimos anos, em termos de gestão ambiental. Um dos indicadores que prova isto é que das 100 maiores empresas de mineração, 25% delas possuem unidades certificadas pela ISO 14.001, segundo avaliação da publicação Brasil Mineral. Este percentual coloca a mineração como um dos segmentos com maior número de empresas certificadas, juntamente com outros como química e siderurgia.
 
Embora a certificação não seja um atestado de que a empresa não polui, ela é considerada uma comprovação de que a empresa adota sistemas de gestão ambientais, contabiliza os seus passivos ambientais e se compromete a resolvê-los.
 
Entre as técnicas utilizadas pelas mineradoras para a preservação ambiental, estão a disposição e contenção de rejeitos, recuperação de áreas mineradas, reutilização de mais de 70% da água utilizada em seus processos, ações de educação ambiental e de conscientização junto às comunidades, plantio de árvores e preservação de áreas permanentes. Os investimentos ambientais promovidos pela mineração, segundo o levantamento da Brasil Mineral, variam de R$ 500 mil a R$ 4 milhões.
 
Na maior companhia mineradora do Brasil, a questão ambiental é tratada de forma preferencial pela atual gestão. Uma demonstração da sua importância é o fato do Departamento de Gestão Ambiental estar diretamente vinculado à Presidência. Em termos de certificação, 100% do minério de ferro exportado pela Vale tem origem em minas certificadas pela 14001.
 
“Não existe uma empresa que invista tanto no aspecto ambiental com investe a Vale. É um desafio ser a única empresa do Brasil a possuir os melhores padrões ambientais”, afirma o diretor presidente da Vale, Roger Agnelli.
 
Cerca de US$ 450 milhões foram investidos em programas ambientais em 2007. Entre os beneficiados, está o projeto de revitalização da vegetação nos Estados de Minas Gerais, Pará e Espírito Santo. Além disso, já foram reabilitados cerca de 2 mil hectares de espécies nativas dos ecossistemas da Mata Atlântica, Cerrado e da Amazônia.
 
Ainda sobre ações de reflorestamento, a meta da Vale é plantar, até 2015, 346 milhões de árvores nos países onde atua, num total de 300 mil hectares – área equivalente a duas vezes o tamanho da cidade de São Paulo. A empresa já ajuda a proteger quase 3 bilhões de árvores ao redor do mundo, no maior programa de revegetação e preservação ambiental da América Latina.
 
Para a especialista em Gestão Ambiental e instrutora do Ietec, Raquel Vieira, as empresas mineradoras precisam investir em uma abordagem técnica que venha integrar alternativas sustentáveis de extração mineral, tecnologias para o aprimoramento das atividades minerárias e orientação aos procedimentos de regularização desta atividade: “O desempenho das atribuições de controle ambiental de uma mineradora são proporcionais a seriedade com que este aspecto é tratado pelas empresas”, conclui.
 
Investimentos ambientais também na CSN que somente em 2007 investiu R$ 30 milhões em medidas de proteção ambiental. Jayme Nicolato, diretor de Mineração da CSN, explica que os projetos ambientais da empresa contemplam diversas ações e programas: “Estes projetos buscam garantir o controle e monitoramento das nossas atividades, bem como os de caráter mitigador e compensatório”, afirma.

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo