Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

:: Gestão e Tecn. da Informação

Gestão de Projetos determina eficiência na área de TI

Comunicação Ietec

O uso de metodologias de Gestão de Projetos no setor de TI sempre dividiu a opinião de especialistas do setor quanto à eficiência desta ferramenta para o segmento. Em uma área dominada por siglas como ITIL, MCTS, CDIA e MIT, o gerenciamento de projetos surge como uma importante metodologia capaz de agregar eficiência e qualidade aos serviços oferecidos pela área de TI.

Nos próximos dias 25 e 26 de junho, acontece em Belo Horizonte o 11º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. O evento pretende apresentar as novas tendências em gerenciamento de projetos e discutir os resultadosalcançados por empresas dos mais diversos segmentos, inclusive na área de TI.
 
A adoção da metodologia de gestão de projetos no setor vem ganhando espaço nas empresas. Isto pode ser traduzido na conclusão do 5º Estudo de Benchmarking Gerenciamento de Projetos, realizado pelo Project Management Institute – Brasil (PMI).  De acordo com a pesquisa, TI é a área que mais utiliza metodologias de gerenciamento de projetos em seus negócios, seguida pelas áreas de Produção e Engenharia.
 
Para o gerente de integração e metodologia da Prodam-SP, o PMP Jorge Cruz, “o gerenciamento de projetos se tornou condição necessária para que as empresas atinjam seus objetivos estratégicos”. Esta é também a opinião do diretor de serviços da Totvs-MG, Cléber Piçarro. Segundo ele, TI é uma das áreas que mais tem se beneficiado com a aplicação da metodologia de projetos no seu dia a dia. Mas destaca dois importantes desafios do setor em relação à adoção de GP em seus negócios.
 
O primeiro deles se refere ao fator humano que, para Piçarro, é o maior desafio da área de TI na aplicação da metodologia. “Pessoas podem tanto ser o diferencial a favor de um projeto como contra. A metodologia garante uma regularidade na execução das tarefas mais críticas. Em prestação de serviços isto é importantíssimo”, afirma.
 
Outro aspecto destacado pelo diretor é o posicionamento de gestores da área de TI quanto à aplicação do gerenciamento de projetos em seus negócios: “Acho que temos que amadurecer em vários aspectos críticos da metodologia. Segmentos mais maduros como os da Construção Civil, as Telecomunicações e Facilities devem ser os parâmetros de aplicação da metodologia para qualquer profissional de TI”, explica Piçarro.
 
A Cemig é um exemplo de empresa que incorporou a Gestão de Projetos como elemento estratégico em seus planos de reestruturação. Neste caso, a área de TI da Cemig passou a ser cada vez mais solicitada e, para garantir uma melhor resposta às demandas que chegavam ao setor, um novo posicionamento foi preciso. Entraram em cena frameworks como Cobit, ITIL e, junto deles, a Gestão de Projetos.
 
Após as mudanças, Sérgio Tasca, superintendente de informática e telecomunicações da Cemig, afirma que a adoção da metodologia de projetos na área de TI só reforçou a crença existente na relação entre a eficiência deste gerenciamento e os resultados alcançados pelo setor: “Nossos bons resultados evidenciam que é possível migrar da teoria para a prática no que se refere ao alinhamento da metodologia aos negócios de TI”.

Jorge Cruz, da Prodam-SP, Cléber Piçarro, da Totvs-MG, e Sérgio Tasca, da Cemig, serão alguns dos palestrantes presentes no 11º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Outras empresas participam do encontro. São elas: Atan, Comau do Brasil, CPLAN, DuPont, FDC, FITec, Governo de Minas Gerais, Magnesita, Michael Page, Módulo, Petrobras, PMI-MG, Promon, Reta Engenharia, Siemens, UFPR, Unimed, Vale e V&M do Brasil.

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo