Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

RH/Liderança/Comunicação

Administrar conflitos na Gestão de Projetos

Luis Fernando Costa Mazzucatto

Analista de Sistemas pela PUC-MG, Pós-graduado em Gestão de Projetos pelo Ietec e em Gestão de Redes e Telecomunicações pela FUMEC. Tem sólidos conhecimentos na área de tecnologia da informação e larga experiência em gestão de projetos de mídia para web sites em empresas nacionais e multinacionais como FIAT AUTOMÓVEIS, BHTEC, VS WEB e AGÊNCIA CLICK, onde atualmente é Coordenador de Projetos.

Resumo

A gestão de projetos no momento se depara com questões antes apontadas como burocráticas e fora de linha, principalmente quando se fala da atuação do gestor no gerenciamento de sua equipe de trabalho.

Um detalhe que chama a atenção é o nível de conflitos elevados durante a execução de projetos, tanto por motivos pessoais, profissionais ou outros, e que mostra através deste artigo quais são as possibilidades que o gestor tem de desenvolver um gerenciamento voltado para administrar os conflitos em suas equipes, minimizando-os, e maximizando os resultados globais dos projetos.

 
Administrar Conflitos na Gestão de Projetos


Um dos grandes desafios das organizações de todo o mundo é garantir que suas estratégias se transformem nos resultados esperados. Os projetos têm papel fundamental neste processo, pois são eles que materializam as estratégias empresariais, integrando recursos e esforços rumo aos objetivos organizacionais.

O ritmo acelerado das mudanças tecnológicas impõe as organizações alterações altamente relevantes na gestão de pessoas para o gerenciamento de projetos. Os gerentes de projetos que antes, agiam de forma engessada, única, e estagnada a ponto de comprometer o crescimento de sua equipe, viu-se na necessidade de sofrer mudanças para o desenvolvimento de suas competências.

Então, temos que começar a quebrar esse paradigma, sobre gerenciamento de projetos e aos poucos adotarmos essa nova postura nas organizações e em tudo aquilo que denominarmos como projeto, segundo as melhores práticas de mercado.

As tarefas de gerenciar projetos são para profissionais experientes, envolvidos, com perfil adequado e competências altamente desenvolvidas que o deixará auto-suficiente para liderar e administrar conflitos durante um projeto. Gerenciar projetos e administrá-lo trará a certeza que sua execução não terá falha, mas quando falamos na má definição das fases do planejamento pode se deparar com conflitos diversos, advindos da falta de algum fator mal alocado.

E, em se falando de se deparar com conflitos, o gestor tem a oportunidade de demonstrar toda sua arte de gerenciar projetos, com eficiência para atingir resultados esperados que passa de um grande desafio para um fator crítico de sucesso e para a sobrevivência da organização. A partir deste momento, o gerente de projetos estará voltado para fatores que envolvam planejamento e controle de diversas atividades que envolvam variados recursos.

Visto que projetos são conduzidos por pessoas ou os “stakeholders”, aspectos como liderança, formação de equipes, motivação, conflitos, comunicações, entre outros, são importantes para um final com sucesso. Esses aspectos apresentados compõem um gerenciamento moderno, e o gerenciamento dos recursos humanos será um dos componentes fundamentais.

O sucesso dos projetos requer uma mistura adequada de habilidades técnicas, humanas e conceituais. Na verdade, pode-se dizer do desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes, assim citado por Cleland e Ireland (2001). Um gerente de projetos competente tem atributos fundamentais que contam com uma estrutura conceitual e prática capaz de direcionar seu comportamento na gerência.

O gerente de projetos deve possuir habilidades como liderança, decisão, comunicação, capacidade de influenciar pessoas, negociação, resolução de conflitos, desenvolver autoconhecimento que vão de técnicas de gerenciamento de projetos à liderança de pessoas, e mais, conhecimento técnico dos produtos a serem produzidos, conhecimento da organização onde o projeto será executado.

Não apenas em desenvolver suas competências, o gerente terá de entender que, projetos não são realizados por pessoas que trabalham isoladamente, e sim por equipes de trabalho envolvidas, competentes e motivadas. Quando citamos equipes de trabalho, contamos com diversos fatores positivos ou negativos durante o desenvolvimento dos projetos, no qual mencionamos a administração dos conflitos.

O processo de gestão de pessoas por competências será decisivo para a administração de conflitos durante a gestão de projetos, daí a grande importância de ter gestores com suas competências desenvolvidas.

Os conflitos em projetos se dão pela escassez de recursos, prioridades na elaboração de cronogramas e estilos pessoais de trabalho. Conflitos decorrem do comportamento de pessoas que envolvem as equipes ou da organização como um todo, e irá dificultar na realização das ações descritas no Planejamento do Projeto, no entanto, tanto no planejamento quanto na programação, se forem bem executadas, aumentará as possibilidades de se atingir as metas propostas e os níveis de conflito podem diminuir.

Em todos os projetos e em qualquer organização, o conflito sempre será inevitável. Para tanto, devem ser administrados de modo que medidas educativas sejam colocadas para obter um resultado rápido e objetivo.

Na realidade, a proposta ideal para administração de conflitos é entrar num consenso todas as opiniões ligadas ao fator gerador do conflito, confrontar todos os dados e informações, reunir todas as pessoas envolvidas, e sempre ter como membro mediador das discussões: o Gerente de projetos, que irá tomar decisões concisas, objetivas e delegar responsabilidades aos envolvidos.

Os conflitos quando de natureza comportamental podem ser gerenciados através de integração da equipe, um momento onde a figura do gerente de projetos é novamente solicitada, pois quando integrada adequadamente, a equipe do projeto aumentará sua capacidade em lidar com qualquer tipo de conflito.

Além disso, os conflitos podem ser  de nível intrapessoal (quando a provável causa será devido a frustrações quanto a expectativas pessoais, profissionais ou relacionadas ao trabalho realizado) e se não bem administrados se tornam interpessoal (podem surgir pelas diferenças de personalidades, já que envolvem mais que uma pessoa, os mais variados fatores geradores), e em outro nível há o conflito entre grupos (a causa pode nem ser um problema ligado ao projeto, e sim problemas entre membros de equipes).

Em organizações que atingiram certa maturidade organizacional em gerenciamento de projetos, o desenvolvimento de novas competências pelos gerentes de projeto tem alcançado resultados positivos e com muito sucesso em projetos.  Minimizar os conflitos oriundos das mudanças, maximizarem a absorção de novas tecnologias pela equipe e pela organização, reduzir os custos e os prazos na especificação ou aquisição de novas tecnologias, contribuirá para melhoria das competências organizacionais.


Conclusão


O gerente de projetos que bem administra os conflitos durante a execução de projetos, está com as suas competências e de sua equipe bem definidas e alinhadas, uma vez abertos ao desenvolvimento, alimentam a criatividade, a inovação e iniciativa rumo ao alcance dos resultados a atingir.

Em suma, os gestores se tornam auto-suficientes e conseguem evitar os conflitos por administrá-los de maneira assertiva, direta, com delegação de responsabilidades, acompanhamento e sem abrir espaço para questionamentos, independentemente da falta de algum recurso durante a execução de projetos.


Referências Bibliográficas


PMBOK, Project Management Body of Knowledge, Project Management Institute, 2000.

CLELAND, David I.; IRELAND, Lewis R. A Cultura do Projeto. In: _____. Gerência de Projetos. Rio de Janeiro: Reichmann e Affonso, 2002.

 

 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo