Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Hora de investir na valorização das vocações

Alexandre Hohagen

Vice-presidente do Facebook para a América Latina

Valor

Há alguns meses venho acompanhando discussões sobre falta de mão de obra qualificada e a consequente dificuldade que empresas, de diferentes setores, têm enfrentado na hora de preencher seus quadros de funcionários.

Em muitos casos, a demora em encontrar o profissional com o perfil ideal para uma vaga faz com que as companhias invistam mais em períodos de treinamento e em benefícios focados em capacitação, como cursos de aprimoramento.

Entretanto, quando analisamos esse cenário, que à primeira vista pode parecer desanimador, percebemos que investir na capacitação de profissionais, para torná-los o funcionário qualificado que precisamos, pode ser o caminho mais certeiro. Isso não apenas preenche vagas, mas também faz com que os colaboradores de fato compreendam e façam parte da cultura da empresa, diminuindo os problemas de rotatividade nos postos de trabalho.

Um ponto importante e que não pode ficar de fora dessa discussão são as mudanças pelas quais o mercado de trabalho tem passado. Diferente do que era comum há algumas décadas, hoje um profissional pode atuar, com sucesso, em uma área que parece muito distante da sua de graduação.

Cada vez mais valores pessoais estão sendo reconhecidos, e um profissional curioso e interessado em aprender pode ocupar uma função que não necessariamente estava na lista de cargos possíveis relacionados à profissão que decidiu seguir.

Investir nessa cultura de valorização da individualidade e apostar nas qualidades pessoais e vocação de cada colaborador demonstra que a empresa está preocupada não somente em entregar o melhor serviço para seu público final, mas também em fazer com que o ambiente e a execução do trabalho tragam recompensas pessoais ao profissional.

Afinal de contas, saber que a empresa para a qual vocêtrabalha o conhece de verdade e valoriza o que você tem de melhor transforma uma relação antes vista como entrega (funcionário/ empresa) em uma relação de troca (colaborador/ empresa e empresa/colaborador).

A valorização da individualidade é um dos pontos em que investimos e procuramos destacar aqui no Facebook. Diferentes histórias, experiências e culturas garantem a troca de ideias e a discussão saudável que leva a descobertas.

Além disso, oferecer a nossos colaboradores um ambiente em que eles possam fazer o que gostam e aplicar o conhecimento que adquiriram, em cursos de graduação ou experiências anteriores, sem amarras ou limites de cargo, é o que faz com que o dia a dia de trabalho seja sempre rico em inovação.

Compreender que vocação é diferente de profissão é minha dica para que as empresas, que enfrentam problemas com a falta de mão de obra qualificada, consigam preencher seu quadro de funcionários sem prejudicar a produtividade. E essa compreensão tem ainda um outro desdobramento, pois investir na vocação natural de cada colaborador, com incentivos à educação e ao aprimoramento, é o que eu acredito que seja o melhor caminho para garantir a retenção de talentos.
 

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo