Logomarca IETEC

Buscar no TecHoje

Preencha o campo abaixo para realizar sua busca

Gerenciamento de projetos aumenta comprometimento com objetivos e resultados empresariais

Harley Pinto
Revista IETEC

Em qualquer área profissional, qualificação é um diferencial de mercado. Mas no setor de Gestão de Projetos, mais que uma qualidade, trata-se de um pré-requisito possuir a capacitação necessária. Mário Henrique Rocha Santos é um bom exemplo. “Houve uma série de mudanças no organograma da Tecnometal Engenharia e Construções Mecânicas. Numa delas, fui convidado a assumir um posicionamento mais autônomo e estratégico na Gestão de Projetos da organização, o que representou uma importante progressão na carreira, haja vista a forte orientação por projetos que a empresa possui em seu segmento”, conta. Um dos motivos alegados por ele para essa ascensão foi o conhecimento adquirido. “Ter me especializado em Gestão de Projetos foi um diferencial de grande importante para que conseguisse este posicionamento na empresa. Ter o domínio das melhores práticas me capacitou a gerir processos que antes não poderia”, afirma o profissional, que complementa afirmando que o MBA da área contribuiu de forma acentuada na sua evolução profissional.

Para Ronaldo Gusmão, presidente do IETEC, Instituto organizador do 15º Seminário Nacional de Gestão de Projetos, a implantação da Gestão de Projetos (GP) nas organizações se destaca como uma das alternativas mais seguras e capazes de preparar as empresas para os desafios de um cenário econômico em constante transformação. “Em um ambiente corporativo marcado pela forte concorrência, somente empresas com processos estruturados conseguem manter um posicionamento estratégico no mercado. A GP é, portanto, a alternativa viável para empresas que buscam por maior competitividade nos negócios”, analisa.
Durante o evento, realizado em Belo Horizonte nos dias 18 e 19 de julho, profissionais de 86 empresas – de oito estados e do Distrito Federal – estiveram envolvidos em discussões, painéis e palestras com um propósito principal: capacitação para o sucesso de seus projetos.
A cultura da Gestão de Projetos nas empresas, as tendências e os fatores críticos de sucesso da metodologia foram alguns dos temas discutidos durante o evento, considerado um dos mais importantes na área de projetos no Brasil.
No término do Seminário, os presentes foram convidados a responder à ‘Pesquisa Anual sobre Gestão de Projetos’. “O presente estudo permite uma análise do atual momento do mercado interno, não só na área de Gerenciamento de Projetos. Trata-se de um importante indicador, que pode ser utilizado para reflexões, tanto de profissionais como de empresas, sobre a utilização de melhores práticas no gerenciamento de projetos”, afirma Ivo Michalick, coordenador técnico de Gestão de Projetos do IETEC e presidente do PMI-MG, entidade parceria do Instituto na organização do Seminário.

Dados apurados
Uma das principais constatações diz respeito aos principais benefícios obtidos com a adoção de práticas de gerenciamento de projetos, como mostra o gráfico abaixo:




O conceito de gestão de projetos faz parte da estratégia de 84% das empresas que participaram do Seminário, denotando o nível de competitividade existente no mercado atual e a importância estratégica dos projetos para suas organizações. A maioria das empresas (71%) utiliza métodos para priorizar projetos – os principais são alinhamento estratégico e retorno de investimentos. “Com base nesta informação, é possível deduzir que com a crescente perspectiva de aumento no volume de projetos é cada vez mais importante a utilização de métodos para seleção e priorização”, pondera Michalick.
Os participantes da pesquisa do IETEC também apontam um número expressivo de empresas, cujo total chega a 76%, nas quais a direção trabalha para o desenvolvimento e melhoria de conceitos em GP. Um bom exemplo é a Reta Engenharia. Para o presidente da empresa, Ilso José de Oliveira, a aplicação de metodologias e técnicas corretas de Gestão de Projetos é de extrema relevância para o sucesso de qualquer empreendimento. “Tenho observado, ao longo dos anos, a relação direta da adoção das melhores práticas com o sucesso dos projetos. Muitas vezes, projetos implantados em condições adversas obtém o êxito que não ocorre em outras implantações em condições mais favoráveis. Eu credito isso, em grande parte, ao uso de metodologias eficazes como por exemplo as recomendadas pelo PMI”, analisa.
Não por acaso, a Reta investe anualmente entre três e cinco por cento de seu faturamento na capacitação de seus funcionários. “Sabemos que nosso maior diferencial é o conhecimento. Por isso, 28% de nossos profissionais de engenharia possuem certificação PMP e 60% dos funcionários possuem alguma especialização em Gestão de Projetos”, afirma.
Já a certificação PMP do PMI ainda tem um bom espaço para crescer. Apenas 4% das empresas afirmaram que exigem o PMP para os profissionais que irão gerenciar projetos e 6% possuem programa formal de preparação para a certificação. Porém, 68% ainda não possuem, mas pretendem implantar, um programa formal de preparação de seus profissionais de projetos para esta certificação. Para Michalick, tal cenário se configura como uma vantagem competitiva. “Com base nesses dados, podemos afirmar que a procura pela certificação PMP continua em alta e deve aumentar ainda mais em 2013, em especial considerando a transição que ocorre no exame desta certificação a cada quatro anos em função da publicação de uma nova edição do Guia PMBOK pelo PMI, principal (mas não única) referência para este exame”, diz.
A exigência de uma dedicação maior aos projetos é evidenciada com 46% dos profissionais voltados integralmente ao gerenciamento. O alto índice é diretamente proporcional à responsabilidade da atividade. Com relação aos cargos destinados aos profissionais da área, o de gerente de projetos configura-se como o mais recorrente entre as empresas, com 57%. Em seguida vem coordenador de projetos, com 26%, líder de projeto, com 24%. Cabe ressaltar que apesar de 59% dos entrevistados afirmarem que a empresa adota a formalização do cargo de gerente de projetos, apenas 19% apresentam um plano de carreiras específico para este profissional.

Adoção das Melhores Práticas
Foi identificado que 80% das empresas usam padrões e procedimentos de GP em sua rotina. , como detalha o gráfico abaixo:




“Esta, certamente, é uma das informações mais relevantes que o estudo nos oferece. No entanto, é importante enfatizar que a coerência destes dados com o nível de formação e com as áreas das empresas que concentram a maior aplicação de processos de GP aponta para a necessidade de outras áreas das empresas entenderem a importância estratégica destes processos em suas atividades uma vez que estes ainda são adotados nas empresas de maneira concentrada em engenharia, com 59%, e tecnologia da informação, com 45%”, analisa Michalick.
Para o superintendente administrativo da A.R.G., Antônio de Pádua, a adoção das melhores práticas é mais que recomendada, é vital, para o sucesso dos negócios. “Por atuarmos num setor que gera grandes investimentos, o de construção pesada, entendemos a necessidade da adoção das melhores práticas. Os próximos passos são expandir a atuação do PMO para as demais áreas de conhecimento da gestão de projetos, além de consolidar o modelo para nossas sucursais no exterior, formar novos gestores de projetos e difundir à toda corporação as melhores práticas, resultados e benefícios da gestão de projetos”, pontuou.
Em que pese o fato de que 80% das empresas adotam padrões e procedimentos de gestão de projetos, entre os maiores problemas enfrentados pelos profissionais da área aparecem com destaque os seguintes:




As habilidades interpessoais mais valorizadas pelas organizações para o profissional de gerenciamento de projetos, segundo o levantamento, são:




Por fim, Michalick ressalta o fato de que, nos próximos doze meses, 36% das empresas pretendem desenvolver ou revisar suas metodologias de gerenciamento de projetos, 40% irão implementar indicadores de desempenho para projetos e 28% adotarão ferramentas de gerenciamento de projetos, como detalha o quadro abaixo.




“A pesquisa, apesar de ser resultado de um trabalho direcionado para quem já trabalha com processos de gerenciamento de projetos, demonstra mais uma vez os ganhos com a utilização das melhores práticas de gestão de projetos e o quanto as empresas devem se preocupar em melhorar seu desempenho na área por meio de várias capacitações e de melhor qualificação para os seus profissionais”, enfatiza o profissional, com mais de 27 anos de atuação no setor.

Indique este artigo a um amigo

Indique o artigo